Gastos absurdos com plano de saúde? Veja como economizar!

O ideal é não comprometer mais de 10% do orçamento com um plano de saúde. Mas, muitas vezes encontramos quem gasta mais do que recomendado com assistência médica. A boa notícia é que você pode aliar economia com atendimento médico de qualidade se seguir nossas sugestões. Confira 3 dicas para economizar com o plano de saúde:

1.  Escolher a segmentação assistencial

Isto é algo que interfere no preço do plano de saúde. A segmentação assistencial diz respeito ao tipo de atendimento e as coberturas. Os cinco tipos mais conhecidos de segmentação dos planos de saúde, segundo a ANS (Agência Nacional de Saúde) são:

  • Ambulatorial: o plano de saúde ambulatorial cobre consultas, exames e as internações são apenas em caráter de urgência e emergência por até 12 horas. Internações em período superior a 12 horas serão cobradas como algo a parte do plano;
  • Plano hospitalar sem obstetrícia: as características desta segmentaçãodão-se ao número ilimitado de: consultas, internação (também em UTI), além de fisioterapia, tratamentos como radioterapia, quimioterapia, transfusões de sangue, hemodiálise e procedimentos pós-operatórios, incluindo acompanhamento após transplantes de órgãos;
  • Plano hospitalar com obstetrícia: a diferença entre o plano de saúde sem obstetrícia para o com obstetrícia é que aqui há cobertura de exames pré-parto, acompanhamento no parto e 30 dias de consultas e acompanhamento após o nascimento do bebê;
  • Plano referência: é um plano de saúde completo que abrange consultas, exames, procedimentos clínicos, atendimentos de urgência e emergência, cirurgias e internações;
  • Plano odontológico: é um plano de saúde exclusivamente com atendimento odontológico. Há vários tipos de planos nesta segmentação, a diferença é o rol de coberturas, começando na mais simples e estendendo-se para atendimentos mais complexos como cirurgias e implantes.

2. Escolher a abrangência do plano

Um plano de saúde com abrangência nacional é mais caro do que um com rede de atendimento regional. Quem é casado e tem filhos deve levar em consideração se a família viaja bastante para escolher a abrangência do plano. Por isto é tão importante ter uma orientação do corretor de seguros.

3. Escolher entre plano individual/familiar e coletivo por adesão

O plano de saúde individual/familiar é regulamentado pela ANS (Agência Nacional de Saúde), por isto, os reajustes são definidos pelo órgão. Em contrapartida, os planos coletivos por adesão são vinculados a associações profissionais e não são regulamentados pela ANS, o que explica os recorrentes reajustes. O plano de saúde coletivo por adesão pode ser mais barato inicialmente, porém, pode vir a comprometer o orçamento.